FANDOM


Eras-canon2-transp

Eras-legends

"Tython é um lugar poderoso e lindo, perigoso e enigmático, cheio de mistérios e abertos aqueles confortáveis com a Força. Está aqui a muito, muito tempo antes da gente, e esses mistérios persistirem sem olhos para vê-los, sem mentes para contempla-los. E é por isso que EU temo Tython. Significa tudo para nós, e ainda não somos nada para ele. Estamos somente passando por ele."
―Je'daii recluse Ni'lander

Tython era um planeta no sistema Tython do Núcleo Profundo que desempenhou um papel fundamental na histórias da Ordem Je'daii e em seu sucessor, a Ordem Jedi. Um mundo verdejante que era incrivelmente rico com a Força, Tython foi habitado por espécies desconhecidas centenas de milhares anos antes do ascensão do Império Galáctico, e foi visitado por ambos os Gree e Kwa, duas das primeiras espécies que conseguiram alcançar as viagens interestelar. Em 36,453 ABY, as grandes naves pirâmide conhecidas com Tho Yor trouxe peregrinos a partir de uma dúzia de espécies através da galáxia para Tython, aonde os peregrinos aprenderam a aproveitar a Força e estabelecer a Ordem Je'deii, baseando sua filosofia no balanço sobre as duas luas de Tython, Ashala e Bogan. Os Je'daii logo perceberam que Tython não era seguro para aqueles que não podiam sentir a Força, e como resultado, os Tythanianos se espalharam para estabelecer outros mundos do sistema Tython.

Em 25,805 ABY, após dez mil anos de paz, Tython foi o local da batalha final da Guerra Déspota, e doze anos mais tarde, uma nave do Império Infinito da espécie Rakata caiu na superfície de Tython, provocando uma das intensas tempestades da Força, que ocorre sempre que o balanço de Tython muda entre os lados da luz e escuridão da Força. As Guerras da Força irrompeu não muito tempo depois disso, um conflito devastador lutado entre os seguidores do lado da luz e os seguidores do lado escuro, e no rescaldo das Guerras da Força, os vitoriosos do lado da luz estabeleceram a Ordem Jedi. Os Jedi partiram de Tython para o mundo distante de Ossus, deixando Tython para se tornar perdida assim que o Núcleo Profundo apagou os hyperplanos do planeta, e os selvagens Flesh Raiders envolveram o agora vazio, mundo.

Descrição Editar

"Nunca esqueça que fomos trazidos aqui. Tython é um planeta rico com a Força, mas é também um lugar de mistério, desconhecido para nós, existindo aqui por eras antes de Thor Yor chegar, Sua idade é profunda, sua história mais ainda."
Mestre Deela jan Morolla

Um mundo terrestre no sistema Tython do Núcleo Profundo, Tython foi o quinto planeta na orbita da estrela de Tythos, orbitando Tythos a uma distância de menos de 160 milhões de quilômetros, e o planeta foi incrivelmente rico com a Força. Tython possui uma atmosfera respirável e um clima temperado, e contou com um número de continentes separados por oceanos e mares. O planeta foi geograficamente variado, como continentes de Tython foram arcado por planícies, colinas, montanhas e até cânions, e por grande parte da história do planeta, Tython foi um mundo particularmente verdejante. Tython foi orbitado por duas luas: Ahsla e Bogan, satélites que inspirou a filosofia de equilíbrio entre os lados da luz e escuridão da Força da Ordem Je’daii, e os Je'daii mantiveram drones sentinelas em orbitas trinta mil quilômetros acima da superfície de Tython. O ambiente de Tython foi extraordinariamente sensível à Força; distúrbios poderosos na Força, poderiam causar imensas tempestades da Força e terremotos que poderiam assolar a superfície de Tython. Entretanto, por volta do ano de 1990 ABY, todos hyperlinhas de Tython tornaram-se instáveis e esquecidas, e o planeta em si tornou-se devastado, o planeta foi coberto por uma constante camada de tempestades, e sua superfície ficou da cor de cinzas, com planícies áridas aonde imensas florestas uma vez existiam.

Tython foi a casa de um número largo de espécies de criaturas que as formas foram variadas assim como a superfície do planeta assim como lagartos guinchadores e aranhas acidas. Os hook hawks de Tythons foram pássaros que possuíram bicos em forma de ganchos e garras afiadas, e caçavam suas presas hipnotizando elas com um som e então atacavam. Lagartos Silik foram raros mas mortais criaturas baseadas em silícios que absorviam energia da própria terra. Com seis pernas do tamanho de um humano adulto, lagartos silik contam com uma grande quantidade de espinhos em seus corpos e eram conhecidos por investirem em seus oponentes com as patas traseiras. A Fenda foi a casa de várias estranhas e mortais criaturas, muitas no qual não tinham nomes e desconhecidas. O Saarl foi uma massivo verme purpura com a boca coberta de dentes que abriam como pétalas de flores de três lados. Tygah de Chama foram repteis de oitos membros duas vezes o tamanho de um humano que eram nativo das Planícies Strafe de Tython, a cauda e as garras dos tygah de chamas espirravam fogo e sua boca ardia com o calor. Spites de Sangue foram criaturas parecidas com morcegos que se alimentavam de sangue quente e habitavam o Deserto Vermelho, embora sua existência foi amplamente considerada ser somente um rumor pelos Je'daii. Árvores Ak eram comum nas florestas Tython durante o tempo dos Je'daii.

O Canal da Lua de Tython foi a casa de Gelfish Tentacular assim como as enormes serpentes do mar. Os quadrupedes angulados conhecidos como Guids foram nativos da região envolta de Kaleth, o Templo do Conhecimento dos Je'daii, e embora eles eram ordinariamente agressivos, guids poderiam atacar seus oponentes com suas poderosas maxilas e massivas pernas frontais. Assim como o guid, os mamíferos uxibeasts também eram encontrados em pequenos grupos em outros mundos apesar de se acreditar que eles eram originais de Tython. Uxibeasts eram mal-humorados herbívoros que viajavam em bando e eram enganosamente agressivo. O quatro patas horranth eram predadores reptilianos que caçavam em grandes grupos de famílias e tinham enormes quantidades de nascimento, sua população era tipicamente apenas limitada pela oferta limitada de alimento. Gatos Manka, predadores felinos de Alderaan eventualmente acharam seus caminhos para Tython e prosperaram no ecossistema vibrante do planeta.

História Editar

História Antiga Editar

Dez mil anos antes de 36,453 ABY, uma espécie de enorme tamanho construiu a Cidade Antiga no continente de Talss em Tython. Os Gree, uma das primeiras espécies a conquistar as viagens interestelar, visitou Tython no início da história galáctica, embora a Cidade Antiga foi a muito abandona mesmo naquele tempo. Os Gree habitaram a Cidade Antiga por um tempo, e lá tiveram rumores que os Gree construíram um hyperportão, uma tecnologia usada pelos Gree para viajar instantaneamente entre dois pontos no espaço, nas profundezas da Cidade Antiga. Os Gree eventualmente deixaram Tython, e a próxima espécie a visitar o planeta foram os reptilianos Kwa de Dathomir. Os Kwa ligaram Tython com seus outros mundos com um Portão do Infinito, uma tecnologia similar ao hyperportão, mas milhares de anos antes da ascensão da Ordem Je'daii, o encontro dos Kwa com a especie Rakata levarão eles a destruírem todos os restantes dos Portões do Infinito, com o objetivo de prevenir os Rakata de oprimir a galáxia. Os poucos remanescentes dos Kwa em Tython eventualmente morreram após destruírem seus Portões do Infinito.

No ano de 36,453 ABY, as oitos grandes naves pirâmides conhecidas como Tho Yor chegaram em Tython, entregando peregrinos sensitivos da Força de uma dúzia de mundos ao planeta e causando uma intensa tempestade da Força. As oitos menores naves se encontrava com a nona e maior Tho Yor acima de um grande pilar de pedra que atingia alto no céu de Tython, e então cada das oitos partiam em diferentes direções para diferentes localizações através de Tython. A Tho Your permanecia em seu destino final após depositar seus passageiros, e os peregrinos logo desenvolverão em uma cultura coesa de Tythanianos, percebendo que o propósito de sua reunião era para eles estudarem a Força e obter seu poder. Inspirado pelas luas gêmeas de Tython, a brilhante Ashala e a escura Bogan, os Tythanianos começaram a entender a natureza dupla dos lados da luz e escuridão da Força, e eles também perceberam que a própria Tython iria reagir ao desiquilíbrio da Força com poderosos terremotos e tempestade da Força.

Jedii Order on Tython

Ordem Je'daii em Tython

Com o conhecimento, os Tythanianos formaram a Ordem Je'daii, nomeando eles mesmo da palavra para "centro místico" na linguagem da espécies Talid da Ordem dos Dai Bendu. Os Je'daii construíram nove grandes templos nos lugares das noves Tho Yor, algumas das quais permanece flutuando no céu enquanto outras pousaram no oceano ou nas encostas das montanhas. Padawan Kesh, a Academia Je'daii, foi construída numa das Tho Yor pelo ano 36,019 ABY, quando Nordia Gral estava servindo como uma das primeiras Mestre do Templo. Até então, os Je'daii tinham completado templos nas outras oito Tho Yor, e eles também desenvolveram a tradição de a Grande Jornada, uma odisseia de dois anos através da superfície de Tython para cada um dos nove templos, que seria realizado por Padawans uma vez que eles se tornassem Je'daii Viajantes. Pelos primeiros mil anos do tempo dos Je'daii em Tython, o planeta foi frequentemente assolado por intensas tempestades da Força, pois os Je'daii ainda não tinham aprendido como restaurar o equilíbrio do planeta e acalmar as tempestades através da Força.

Os Je'daii também construíram cidades através da superfície de Tython, embora o segundo milênio dos peregrinos em Tython veio ao fim, se tornou evidente que para aqueles que não eram sensitivos a Força não poderiam sobreviver no planeta. A Destruição da cidade de Aurum inspirou a segunda migração, aonde aqueles Tythanianos que não eram Je'daii partiram de Tython em espaçonaves e se estabeleceram em outros mundos dos noves planetas do sistema Tython. Sensitivos a Força nascidos em outros planetas, nos Mundos Estabelecidos, eram trazidos a Tython para treinamento como Je'daii, e o sistema de vida de Tython continuou por mais de dez mil anos. Entretanto, ressentimentos dos Je'daii entre os Mundos Estabelecidos eventualmente levou a um conflito. Em 25,805 ABY, a Rainha Déspota Hadiya uniu os barões do crime do seu planeta natal Shikaakwa e conquistou o resto dos Mundos Estabelecidos. Ela então colocou sua atenção a Tython, e seu exército invadiu o planeta para a batalha final, uma batalha que viu a morte de milhões das tropas de Hadiya e centenas de Je'daii. Hadiya foi morta pelo Je'daii Daegen Lok nos portões de Laketh, trazendo o fim da Guerra Déspota.

A paz foi quebrada, entretanto, por volta de 25,783 ABY, quando um cisma no sistema de crença da Ordem opôs aqueles que favoreciam a filosofia de Ashala contra aqueles que aderiram ao pensamento da escola Bogan. Portando uma Katana, uma espada de metal imbuída com a Força, os Je'daii entraram em uma sangrenta guerra civil conhecida como Guerras da Força. Os filósofos de Ashala se alto denominaram a Ordem Jedi e eram liderados pelo Alto Conselho composta dos melhores do seu ranque. Um dos Altos Conselheiros, o grande Mestre Rajivari, foi corrompido pelo lado sombrio da Força e liderou uma facção de dissidentes em outro ataque selvagem contra os Jedi que ele ajudou a criar. O Rajivari criou um acampamento fortificado no próprio Templo do Conhecimento, chamado Kaleth pela Ordem. Enquanto os filósofos de Bogan combatia os Jedi por várias semanas, Mestre Rajivari desapareceu, deixando seus discípulos em desordem. Enfraquecido e tendo muitas baixas, os seguidores de Rajivari foram derrotados e a Ordem Jedi acabou com a insurreição.

Abandono Editar

Inicialmente, os Jedi acreditavam que seu poder era limitado a Tython apenas, embora isso foi mais tarde provado o contrário quando um grupo proativo deixou Tython para libertar outros mundos, tornando-se Cavaleiros Jedi por volta de 25,783 ABY. Na ascensão das Guerras da Força, os vitoriosos da Ordem Jedi abandonaram Tython em favor de Ossus, um exuberante planeta na borda do Setor Tion longe na Orla Externa. Apesar da partida da Ordem, Tython foi absorvida na Republica Galáctica, e teve lugar durante as eras Indecta, Kymoodon, e Pius Deas e além.

Após a destruição do Setor Cron e a ruina que segui Ossus, a Ordem Jedi se realocou para Corsucant, registros da existência de Tython sobreviveu até esse ponto, e apontamentos dos experimentos Sith no planeta foram feitos nos Arquivos do Templo Jedi. Terríveis bestas chamadas terentatek, um produto da alquimia, foram soltas em Tython e foram consideradas abominações monstruosas que posou como uma afronta à Força pelo Alto Conselho Jedi. Encarregando membros da Ordem para caçar essas criaturas e mata-las com extremo preconceito, o Alto Conselho iniciou a Grande Caçada, permitindo qualquer um que quisesse se juntar a purgação a participar. Entre outros mundos, Tython foi limpa em 3994 ABY, eliminando o antigo planeta natal dos Jedi da ameaça terentatek.

Redescoberta Editar

Logo após a Grande Caçada acabar, hyperlinhas para o planeta entraram em colapso e o mundo foi abandonado por muitos séculos. Tython não foi esquecida, entretanto, novas hyperlinhas para o Núcleo Profundo foram criadas em 3651 ABY pela Cavaleiro Jedi Satele Shan no despertar do Saque de Coruscant pelo ressurgido Império Sith. Liderando batedores Jedi para reclamar o mundo, Shan restabeleceu uma presença Jedi no mundo, tornando Tython o mundo fortaleza da Ordem durante a Guerra Civil entre o Império Sith e a Republica Galáctica. No mesmo período, um grupo de peregrinos Twi'lek desembarcou no mundo estabelecendo um pequeno assentamento perto da sede Jedi. Construindo seus Templos perto de ruinas de Kaleth, os Jedi mantiveram distância do assentamento ilegal do Twi’lek apesar dos apelos da Matriarca em ajudar a se proteger do Flesh Raiders.

200px-Tython

O templo Jedi de Tython.Ele foi construído logo após o tratado de Coruscant

Durante a Guerra Civil, Darth Angral do Império Sith destruiu o mundo agricultura da Republica Uphrades para desafiar o antigo Padawan do Mestre Orgus Din. O Cavaleiro tinha se tornado um espinho do lado do Império em muitas diferentes ocasiões e tinha finalmente voltado a raiva de Angral para Tython. O Cavaleiro e sua aprendiz, Kira Carsen, entraram na nave de Angral a Oppressor e enfrentado Angral após desabilitar a nave. Durante o confronto, o Imperador Sith possui Carsen a distância o ordenou que Angral acaba-se com o Cavaleiro. Finalmente o Cavaleiro conseguiu derrotar Angral enquanto Carsen se recusava a ser uma peã do Imperador conseguindo quebrar o elo mental. Os dois Jedi foram capazes de fugir do Oppressor antes dele explodir, levando o corpo de Angral consigo. Com o retorno a superfície do planeta, a Grande Mestre Satele Shan concedeu o título, "Herói de Tython" ao Cavaleiro Jedi pelos serviços prestado a Ordem.

Regresso à Obscuridade Editar

Entretanto, algum tempo após a Guerra Galáctica, a superfície de Tython foi severamente devastada em alguma catástrofe, e o planeta se tornou saturado com energia do lado sombrio. Durante a Nova Guerra Sith entre a Republica e várias facções Sith, a Lorde Sith Shi'ido Belia Darzu tomou o controle de Tython e construiu uma grande fortaleza no planeta. Darzu, que era habilidosa no uso da Mechu-Deru habilidade de transformar a pele de criaturas vivas em metal, conduziu experimentos dentro da fortaleza, desenvolvendo a habilidade de criar tecnobestas no ano de 1250 ABY. Construindo um exército de horrores tecnológicos e gravando seu conhecimento dentro de um Holocron, Darzu iniciou a fase da Nova Guerra Sith conhecida como Guerras Sictis. Entretanto, Darzu provocou a ira da Ordem Mecrosa em 1230 ABY, e os assassinos Mecrosa mataram Darzu em Tython.

Pelo ano de 990 ABY, Tython se tornou a muito abandonada, as hyperlinhas para o planeta tinham se perdido. Entretanto, o aspirante a Sith Hetton descobriu informações navegacionais para Tython, e passou para Darth Zannah, um Lorde Negro dos Sith e aprendiz de Darth Bane, Bane viajou para Tython com o objetivo de investigar a fortaleza de Darzu para que ele pudesse aumentar seu conhecimento sobre holocrons, enquanto seu aprendiz infiltrou-se nos Arquivos do Templo Jedi em Coruscant na busca sobre informações sobre criaturas orbalisk que Bane tinha se infectado. Bane levou seu Caça Infiltrador de longo alcance Mystic para Tython e aproximou-se da fortaleza de Darzu, destruindo as defesas da fortaleza quando eles o atacaram. Bane então entrou na fortaleza e encontrou um exército dormente de tecnobestas, e as criaturas atacaram ele após ele pegar o holocron de Darzu. Bane destruiu todas as tecnobestas e passou os próximos dias em meditação, estudando o holocron com o objetivo de construir o seu próprio.

Entretanto, Zannah foi descoberta em Coruscant, e ela foi forçada a fugir para Tython com o seu sobrinho Darovit. Os dois foram perseguidos pelos Mestre Jedi Valenthyne Farfalla, Raskta Lsu, e Worror Downmar, junto com os Cavaleiros Jedi Johun Othone e Sarro Xaj, e os cinco Jedi enfrentaram os dois Sith num duelo na fortaleza de Darzu. O duelo acabou com vitória Sith, embora Bane foi severamente ferido e Zannah foi forçada a levar seu mestre e Darovit para o planeta Ambria para recura-lo. Nos anos seguinte, a Ordem Jedi estabeleceu uma academia na superfície de Tython apesar da forte presença do lado sombrio, e a instalação serviu como lugar de imersão profunda na Força similar a academia em Alpheridies.

Habitantes Editar

"Talvez tenha uma loucura ainda em Tython mesmo não tão forte na Força. Não se pode submergir na superfície do mar se não possuir guelras. Não se sobreviveria. Não escaparia. Então para estar aqui, agora... desse jeito, a insanidade reside."
―Tythaniano desconhecido, c. 9000 CTY

Tython foi originalmente casa de um número imenso de espécies, assim como a Cidade Antiga foi construída por indivíduos mais de três vezes maiores que Humanos, embora essa espécies está a muito desaparecida quando os Gree chegaram. Os Gree eventualmente partiram de Tython, e a espécie Kwa chegou em Tython, algum depois eles morreram no planeta após a destruição do Portão do Infinito de Tython. Os peregrinos trazidos a Tython pelos Tho Yor foram de grande variedade e de muitas espécies diferentes através da galáxia isso inclui: Talids, Humans, Selkath, Twi'leks, Sith, Cathar, Wookiees, Zabrak, Noghri, Devaronianos, Sullustanianos, Mirilanianos, Iktotchi, Krevaaki, Miraluka, e a espécie que mais tarde seria conhecida como Koorivar. Os Flesh Raiders evoluíram em Tython no milênio após a partida dos Jedi, e eles desenvolveram uma selvagem e primitiva cultura durante a Guerra Fria.

Localizações Editar

Durante a era dos Je'daii, Tython tinha número de cidades e templos, e sua superfície foi geograficamente variada. Mahara Kesh, o Templo da Cura dos Je'daii, era localizado no Oceano Profundo de Tython. A ilha continente de Masara era coberta de florestas e planícies verdejantes, e Bodhi, o Templo das Artes dos Je'daii, era situado perto da Floresta da Borda na costa sudeste de Masara, enquanto o continente era delimitado pelo Oceano Thyrian na costa nordeste. O continente de Thyr fica a oitocentos quilômetros ao norte através do Oceano Thyrian, e Thyr era caracterizado por planícies rochosas e pela Floresta Stark, florestas com árvores que sugavam a umidade do ar e guardavam como agua em largos sacos em seus galhos. thyr também foi a casa do Deserto Silencioso, um deserto com uma propriedade única de que todo som era sugado por uma qualidade desconhecida da areia do deserto. O Deserto Silencioso também era caracterizado por fortes ventos e um número de subculturas que se acreditava ser senciente. O Templos das Habilidades da Força, Qigong Kesh, era localizado em enormes cavernas embaixo do Deserto Silencioso.

O continente de Kato Zakar, no qual reside ao sul de Thyr, era com frequência chamado Terras de Fogo na era Je'daii por causa do terreno tumultuoso e a quantidade significante de atividade vulcânica que era comum nas terras centrais do continente, quase três mil duzentos quilômetros ao sul da costa nordeste. A Gigante Faixa de Gelo, a faixa montanhosa que era o sitio do Templo das Artes Marciais, Stav Kesh, era localizado quase quinhentos quilômetros no interior da costa nordeste, e as Planícies Strafe residiam entre as Gigantes de Gelo e a costa. A Planícies Strafe era fria, com cerrados varridos por vento que era propicia a tempestades da Força e cheia de magma por todo lugar os "buracos engolidores", e colunas de sílica afiadas como navalha. Os limites orientais de Kato Zakar era coberto por florestas fungi, por pântanos, e então dunas de areia, por mais longe que alguém ia dentro da costa oriental do continente, e a cidade porto de Pouso Ban era localizada na linha costeira de Kato Zakar no mar conhecido como o Canal da Lua.

Através do Canal da Lua, ficava o maior continente de Tython, Talss, também conhecido como o Continente Negro. Talss era marcado por cânions massivos conhecidos com a Fenda, uma fissura geográfica que era morada frequente de atividades vulcânicas e sísmicas. Os dois continentes era separados por uma distância de cem quilômetros, e o Canal da lua entre eles era a morada das sete Ilhas da Lua, e a costa ocidental de Talss era a casa de um número pequeno de portos. Seiscentos quilômetros a leste da Fenda tinha uma faixa de montanhas dividida pelo Abismo, e Anil Kesh, o Templo da Ciência, montada em cima do Abismo nas montanhas. E algo dentro das profundezas do Abismo interferia com os sentidos dos usuários da Força. Ao sul da Fenda e das montanhas ride uma ampla e aparentemente interminável planície que não dispunha de qualquer crescimento de plantas, por causa dos ventos intensos que mata todas as plantas que crescem mais alto no solo. Ao sul da planície, nos confins do sul de Talss, existia o Deserto Vermelho. A Cidade Antiga era localizada aproximadamente oitenta quilômetros no interior das bordas do norte do deserto, metade enterrada nas areias no tempo dos Je'daii.

Vur Tepe, a Forja Je'daii, era situada diretamente acima de um vulcão ativo na faixa montanhosa durante a era dos Je'daii, enquanto Akar Kesh, o Templo do Balanço, era situado no imponente pilar de pedra, o lugar original da aterrizagem da Tho Yor. Seis quedas d’agua do topo do monólito, alimentava uma serie de lagos e rios em volta da base do pilar. Kaleth, o Templo do Conhecimento dos Je'daii, foi criado sobre uma conexão da Força perto dos rios e faixa de montanha que era conhecida pelos Jedi dezenas de milhares de anos mais tarde como Rio Tythos e o Cume Tythos.

Seguindo o reassentamento da Ordem Jedi no planeta, um massivo Templo foi erguido perto do templo arruinado de Kaleth. O Templo serviu de base para todas as operações Jedi no planeta por muitos anos, os Jedi também ocuparam uma estrutura conhecida como o Retiro dos Metres localizado nos Gnarls Tythoniano, enquanto o vila Twi'lek, Kalikori foi encontrada no cume acima do complexo do Templo.

Por trás das Cenas Editar

Mencionado pela primeira vez no jogo Star Wars: Rebellion lançado em 1998, Tython não apareceu realmente em nenhuma material de Star Wars até publicação em 2007 de Darth Bane: Rule of Two. Tython foi mais tarde o local de nascimento da Ordem Jedi no lançamento em 2012 do jogo online massivo, Star Wars: The Old Republic, no qual o planeta tem um papel de importante destaque no começo do jogo para jogadores que escolherem o caminho de Jedi Consular ou Cavaleiro Jedi.

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.