Fandom

Star Wars Wiki em Português

Dróide de batalha B1

5 826páginas
nesta wikia
Adicione uma página
Falar0 Compartilhar

Clique aqui para ir ao artigo da Star Wars Wiki sobre a versão Cânon desta página.

Este artigo detalha um assunto sob a marca Legends.

O assunto deste artigo aparece na era da Ascensão do Império.O assunto deste artigo aparece na era da Rebelião.

Death-star-2.jpg Esse artigo está em construção.

O autor deve estar treinando seus poderes de Jedi.

"Afirmativo, afirmativo!"
―Resposta típica de um B1.[fonte]

Os droides de batalha B1, às vezes referidos como droides de batalha padrão, eram os droides de batalha que compunham a espinha dorsal do Exército Droide da Federação de Comércio e do Exército Droide Separatista. Às vezes chamados de "Latas-velhas" pelos soldados clone da República Galáctica, eles eram os sucessores dos droides de batalha série OOM.

Os B1s eram talvez os mais numerosos—e descartáveis—soldados na história galáctica, e, diferente da maioria dos soldados orgânicos, eram capazes de agir em ambientes hostis como debaixo d'água e no espaço. Eles foram projetados, na maior parte, para derrotar seus inimigos através de grandes números, não através de sua habilidade de pensar (eram enganados facilmente) ou suas habilidades de combate (diferente dos soldados clone).

O droide de batalha B1 era frequentemente usado como soldado para a Federação de Comércio. Como resultado, os B1s estavam presentes em quase todas as batalhas envolvendo a Federação.

As primeiras batalhas envolvendo droides requiriam um computador central para permitir que os droides "pensassem", mas removido em sua maioria após a Batalha de Naboo depois que um ataque destruiu a estrutura principal de lá, desativando todos os droides no planeta.

Características Editar

Design Editar

"Coisas inúteis. Mais perigosos para nós que para os Jedi."
General Grievous[fonte]

Droides de batalha B1 tinham 1,93 metro de pé e tinham forma humanoide, fisicamente idênticos ao seu antecessor direto, o droide de batalha série OOM. Suas cabeças alongadas sobre pescoços compridos e finos foram projetados imitando seus construtores nas fundições Baktoid geonosianas. Neimoidianos supersticiosos eram conhecidos por propagar o rumor que as cabeças dos droides de batalha B1 foram projetas imitando o formato de um crânio Neimoidiano após a morte e muitas espécies achavam a aparência dos B1s perturbadora.[fonte?]

Como os modelos OOM, os B1s tinham um código de cores de acordo com sua função, como comandante ou segurança. Alguns eram pintados para se camuflarem num certo ambiente. Os B1s eram geralmente escravizados por um computador de controle central localizado em uma nave espacial remota ou outra instalação bem protegida. Entretanto, isso poderia levar a um completo fracasso se o computador central fosse destruído, como na Batalha de Naboo, na qual Anakin Skywalker destruiu a Nave de Controle Droide. A derrota monumental em Naboo estimulou o interesse em droides de batalha independentes e esse técnica ganhou forças após a batalha e durante as Guerras Clônicas.

150px-Camo battle droid.jpg

Um droide B1 camuflado.

Um Humano poderia arrancar os membros de um droide de batalha se suficientemente enfurecido. Em casos extremos, os eletroímãs que mantêm seus membros anexados poderiam não funcionar. Durante as Guerras Clônicas, os soldados clone da República Galáctica aprenderam a mirar nos quadris, troncos e juntas dos B1s para destruí-los rapidamente. Mas um tiro na cabeça era a única maneira decisiva de desativar um droide. Eles não precisavam de braços, pernas nem mesmo seu corpo para passar informações ao comando central.

Os B1s foram projetados para produção em massa barata. Como resultado, eles eram muito fracos e vulneráveis, mas eram capazes de cercar um inimigo com seus números imensamente superiores. Outros modelos, como droideka, super droide de batalha B2, droide garra e o droide de batalha aéreo B1-A eram mais caros e menos amplamente usados, mas melhores soldados.

Droides de batalha utilizavam rifles blaster E-5, pistolas blaster SE-14 e detonadores térmicos em combate. Eles falavam com uma voz mecânica aguda. A voz variou entre unidades desde o tempo da Batalha de Naboo, mas em algum ponto durante as Guerras Clônicas suas vozes foram uniformemente trocadas para uma versão mais grave.

Desempenho Editar

Battledroids.jpg

Droides de batalha B1 em ação durante a Batalha de Geonosis.

Dróides B1 empregavam táticas pouco sofisticadas em batalha. Aglomerações em marcha ou ondas simples eram usadas e eles geralmente não exibiam um conceito de cobertura. Durante as Guerras Clônicas, entretanto, houve um inevitável desenvolvimento no período de guerra e a programação B1 começou a mostrar algum avanço. General Grievous, o comandante do exército droide, odiava os droides por sua fragilidade em relação aos soldados clone da República.

Apesar de parecerem fracos, os B1s eram capazes de derrubar um inimigo num combate mão-a-mão como visto na Batalha das Grandes Planícies de Grama, onde droides de batalha eram capazes de lidar de um-pra-um com soldados Gungan.

Embora as gerações mais antigas fossem inteiramente dependentes dos Computadores de Controle Central, modelos pós-Naboo foram adaptados com modelos cognitivos que permitiram pensamento independente e exibiram um grau maior de independência e personalidade. Entretanto, encarregados com mais e mais funções especializadas que forçaram suas programações aos limites, muitos droides antigos transtornos de personalidade e uma tendência a comentar excessivamente de suas situações numa tentativa de lidar com a sobrecarga de dados que abalou seus módulos de lógica inadequados.

HistóriaEditar

B1s eram usados por uma variedade de governos e forças armadas. Até contrabandistas eram conhecidos por usá-los, mas em quantidades menores se comparadas aos exércitos galácticos. Droides de batalha B1 foram extensivamente usados durante a Invasão de Naboo pelas associações comerciais.

Invasão de Naboo Editar

STAP TPM.png

Um B1 pilotando uma Plataforma Aérea Monolugar em Naboo

Droides de batalha B1 foram extensivamente usados durante a Invasão de Naboo pelo Vice-rei Nute Gunray. Apesar dos droides serem estatisticamente frágeis, com números esmagadores ele eram capazes de dominar os Naboo e manter o controle da superfície do planeta. A invasão da Federação do Comércio que manteve os Naboo até a Batalha de Naboo era composta sobretudo de B1s, droidekas e outros veículos mecanizados como  AATsMTTsSTAPs e PACs.

Ao chegarem no bloqueio da Federação do Comércio do planeta, os Cavaleiros Jedi Obi-Wan Kenobi e Qui-Gon Jinn destacaram fraquezas nos droides. Essas deficiências técnicas, incluindo tempo de reação lento, imprecisão das armas e táticas simples resultaram da natureza de "quantidade sobre qualidade" da Federação do Comércio na produção dos B1s.

O "primitivo" Grande Exército Gungan e a grandiosidade da força de invasão da Federação do Comércio lutou abertamente na Batalha das Grandes Planícies de Grama. Apesar da natureza irregular do terreno e das táticas inovadoras dos Gungans inicialmente representarem um problema, o fornecimento esmagador dos B1s e outras máquinas no campo de batalha provaram ser a carta na manga.

O momento decisivo e salvação da Batalha de Naboo provou ser a destruição da Nave de Controle Droide por Anakin Skywalker. Depois do Computador de Controle Central do exército droide ser destruido, todas as unidades mecanizadas nas Planícies de Grama reiniciaram e tornaram-se estruturas inanimadas e inofensivas.

Pós-Naboo Editar

Após o encerramento da crise de Naboo, a República Galáctica aprovou a lei que proibiu a Federação de Comércio do uso de exércitos droide e a criação de material bélico. A Federação de Comércio, entretanto, realocou suas pesquisas militares e centros de produção para territórios extra-Republicanos, como Geonosis.

Durante esse tempo, a Federação de Comércio começou a recuperar-se do regulamento da República e a incrível perda financeira do fiasco em Naboo. Modelos de droide de batalha existentes foram aprimorados e novas gerações de soldados foram desenvolvidas, como o Super Droide de Batalha.

Os B1s, entretanto, foram reequipados e reajustados. Aprendendo com a destruição da Nave de Controle Droide sobre Naboo, a Federação de Comércio melhorou os B1s com centros de inteligência independente a bordo que podiam operar sem um sinal principal. Os centros esféricos das Naves de Controle Droide também foram redesenhadas para operar em terra, o que se provou mais fácil a defesa. Esses droides recentemente adaptados eram capazes de ser programados com novas tarefas e os B1s tornaram-se tripulantes de naves de batalha, pilotos, artilheiros e equipes de emergência. Entretanto, essas tarefas levaram as capacidades dos B1s aos limites e provaram ser medíocres em papéis específicos. A entrada da Federação de Comércio na Confederação de Sistemas Independentes não aprimorou a qualidade das unidades e os Neimoidianos se recusaram a gastar mais dinheiro no aprimoramento de seus droides e a União Tecno reservou seus módulos cognitivos mais poderosos para droides de batalha mais novos e ainda mais mortais.

Esses problemas se agravam com as Guerras Clônicas. Manutenção se tornou extremamente problemática: diagnósticos e desfragmentação de memória rotineiras tendiam a apagar programação especializada adaptada, então eram frequentemente ignoradas.Módulos cognitivos sofriam gradualmente com corrupção de dados e erros no sistema, levando a desligamentos ou anomalias comportamentais. Para o aborrecimento dos comandantes Separatistas, os B1s se tornaram tagarelas, começando a comentar o que estava acontecendo enquanto os módulos deles lutavam para processar o excesso de dados.

Batalha de Geonosis Editar

Em 22 ABY, o Cavaleiro Jedi Obi-Wan Kenobi,enquanto rastreava Jango Fett até Geonosis, descobriu a fundição droide lá e contatou o Conselho Jedi antes de ser condenado por espionagem. Seu aprendiz Anakin Skywalker e Padmé Amidala seguiram ele mas também foram capturados. Todos os três foram condenados à morte. Entretanto, quando os três escaparam de suas correntes e das feras da arena e uma equipe de duzentos Jedi chegaram, os B1s, juntamente com os novos super droides de batalha B2, entraram na arena para parar os Jedi. Muitos droides foram destruídos, mas os restantes oprimiram os Jedi através de número absoluto e agruparam os vinte restantes no centro da arena. Entretanto, soldados clone chegaram e salvaram os Jedi e uma enorme batalha começava do lado de fora.

Os B1s combateram os soldados clone e Jedi juntamente com outros doides Separatistas. Entretanto, os clones provaram-se superiores e a batalha foi vencida pela República. Entretanto, muitos droides escaparam do planeta a bordo de naves da Federação do Comércio, transportes classe Hardcell da União Techno, entre outras. As Guerras Clônicas estavam apenas começando.

Guerras Clônicas Editar

"Vocês esperam uma vitória sobre os Jedi, mas só me dão dróides de batalha para lutar!"
―General Grievous, para Conde Dookan[fonte]

Após a Federação de Comércio juntar-se à Confederação de Sistemas Independentes, eles se tornaram uma maioria no Exército Droide Separatista. Os B1s poderiam ser os soldados mais comuns da Confederação, com alegados quintilhões sendo despejados nos inúmeros mundos-fábrica da CSI. Entretanto, sua inutilidade frustava os comandantes Confederados, como General Grievous. Os droides de batalha receberam o apelido de "latas-velhas" pelos soldados clones.

Droides de batalha B1 muitas vezes serviam a bordo de espaçonaves e naves de batalha. Eles tripulavam torretas, trabalhavam em consoles de computador, pilotavam naves de batalha e serviam como seguranças a bordo da embarcação.

Eles participaram de muitas batalhas incluindo, mas não somente, a Primeira Batalha de Geonosis, a Batalha de Muunilinst, e a Batalha de Kashyyyk. Apesar de sua notável ineficácia em combate, os Droides de Batalha B1 erradicaram com sucesso o clã das Irmãs da Noite em Dathomir. Modelos de treino foram ainda utilizados em Kamino nos testes práticos dos cadetes clone.

Durante as Guerras Clônicas, o ARC Prudii Skirata conversou com e conseguiu "convencer" um importante metalúrgico Separatista a dar-lhe indícios vitais da estrutura metalúrgica dos droides. Adicionando 5% de carvânio extra aos droides pelo computador principal da fábrica em Olanet, esses droides desmontavam quando atingidos por qualquer arma. Os atos de sabotagem tiveram tanto êxito que a taxa de mortes pelos soldados clone subiu de 20 droides por clone para 50 durante o primeiro ano das Guerras Clônicas.

Seguindo a execução dos Conselho Separatista pelo novo aprendiz de Darth Sidious, Darth Vader, a maioria dos B1s, mas não todos, foram desativados. Entretanto, alguns foram re-ativados para servir nas várias Remanescentes da Confederação, como a controlada pelo Geonosiano Gizor Dellso.

Pós-Guerras ClônicasEditar

"Envie uma mensagem às naves da Federação de Comércio: Todas as unidades droide devem ser desligadas imediatamente"
Darth Sidious para Darth Vader[fonte]

Logo após a Ordem 66, os Jedi sobreviventes Olee Starstone e Roan Shryne fugiram para Jaguada, uma antiga base Separatista. Tentando contactar os Jedi em Coruscant, eles acidentalmente ativaram os guardas droide. Vader descobriu a posição deles e enviou tropas para destruí-los. Os Jedi utilizaram os droides ativados para servirem como retaguarda contra os troopers.

Durantes a ascensão do Império, alguns B1s foram reativados e reprogramados para uso como droides-seguranças. Além disso, alguns foram usados por Darth Vader para ter Falco Sang passando por várias experiências intensas.

Impacto na sociedade galáctica Editar

Droide-esboço.png Este artigo é um esboço de um droide. Você pode ajudar o Star Wars Wiki expandindo-o.


ApariçõesEditar

Wiki.png Esta lista está incompleta. Você pode ajudar a Star Wars Wiki expandindo-a.

FontesEditar

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no Fandom

Wikia aleatória