FANDOM


Eras-canon-transp

Eras-legends2

As corvetas CR90, também conhecidas como corvetas corellianas ou furadores de bloqueio, eram embarcações consulares fabricadas pela Corporação Corelliana de Engenharia.

Enquanto o CR90 teria uso inicial dentro da falecida República Galáctica e do Senado Imperial, muitas naves seriam adotadas pela rebelião inicial e pela Aliança Rebelde contra o Império Galáctico, apesar de não serem projetados como uma nave orientada para o combate.

CaracterísticasEditar

Projetada pela Corporação Corelliana de Engenharia [1] como uma nave diplomática, ela seria usado nos anais da falecida República Galáctica, no Senado Imperial e, mais tarde, como uma nave de combate tanto na rebelião inicial quanto na Aliança Rebelde. [8] Medindo 150 metros de comprimento, [1] tinha duas torres duplas de turbolaser e quatro torres simples e tinha a capacidade de atingir uma velocidade máxima de 950 kmph. De acordo com Luke Skywalker, algumas naves CR90 equipadas para o combate poderiam ser equipadas com seis turbolasers duplos. [6] Capaz de transportar toda uma escolta diplomática, tinha uma capacidade de passageiros às centenas [6]. Embora as naves não fossem construídas como transportadores, três interceptores RZ-1 A-wing poderiam ser conectados aos anéis de ancoragem, permitindo uma pequena escolta. [5] Eles serviriam como a espinha dorsal da rebelião inicial e da Aliança. [4] Apesar de não serem particularmente fortemente armados, os CR90 possuíam poder de fogo suficiente para destruir um cruzador classe Gozanti com bastante facilidade. [12]

HistóriaEditar

Queda da RepúblicaEditar

A linha CR90 estava em serviço durante as Guerras Clônicas. O senador Bail Organa de Alderaan tinha uma corveta CR90 chamada Tantive IV, que ele costumava viajar para Toydaria para negociar um esforço de socorro ao bloqueio de Ryloth. [13]

Era imperialEditar

Após a queda da República e a ascensão do Império Galáctico, o CR90 continuou a ver o serviço dentro do Império, com vários cruzadores estacionados na doca profunda da Unidade R/M de Belderone. [9] Além disso, a corveta continuaria a ser usada por Bail Organa durante seu mandato no Senado Imperial.

Duas Corvetas CR90 faziam parte da Força de Defesa de Botajef, que foi mobilizada contra o Império quando o governador Quesl declarou a secessão de Botajef do Império. Comodoro Thrawn foi capaz de acabar com eles com o mínimo de baixas [10].

Leia Organa viajou na Tantive IV quando recuperou R2-D2 e C-3PO dos rebeldes que operaram em Lothal. [14] O movimento rebelde de Organa também usou vários CR90s. Ahsoka Tano, sob o nome de código "Fulcrum", viajou em um quando os rebeldes entregaram o informante Rodiano Tseebo para ela. [15] Três corvetas pertencentes a rebeldes foram mais tarde usadas durante o resgate do líder rebelde de Lothal, Kanan Jarrus. [16] Cinco corvetas CR90 serviram como parte da Célula Fênix sob o comando de Jun Sato, além da nave principal, uma fragata da classe Pelta chamada Lar Fênix. Após a perda da nau capitânia durante uma batalha, o Comandante Sato levou uma das corvetas, Liberator, como sua nova nau capitânia. [17] Outra corveta, Transport One, foi usada na tentativa de trazer suprimentos de emergência para o povo faminto de Ibaar, mas foi destruída pelo bloqueio imperial. [5]

Vários anos depois, após a Aliança para Restauração da República ter roubado os planos da Estrela da Morte, a Princesa Leia Organa viajou a bordo da Tantive IV para trazer os planos para Alderaan. No entanto, sua nave foi interceptado sob Tatooine por um destróier. A Tantive tentou escapar, mas um tiro do Destróier Estelar incapacitou seus motores, deixando-o vulnerável ao embarque. [7]

Durante o Retiro Mid Rim, a Companhia Crepuscular rebelde utilizou o Trovão Trovejante CR90 como um transporte antes de seu fim em Sullust. [18]

Durante a Batalha de Endor, os Rebeldes usaram pelo menos três CR90's para atacar a segunda Estrela da Morte em conjunção com grande parte da Frota Rebelde.[19]

Muitas corvetas CR90 participaram da Batalha de Jakku, com pelo menos uma sendo fortemente danificada e caindo no que se tornaria conhecido como o Graveyard Starship [tradução necessária]. [20].

Aparições Editar

Fontes Editar

Predefinição:Listdev

Notas e referências

As seções "Aparições" e "Fontes" foram importadas e traduzidas automaticamente do artigo em inglês pela Interface de Criação de Páginas. Consulte o histórico do artigo original para identificar os autores.