FANDOM


Eras-canon-transp

30px-Era-imp30px-Era-real

"O desafio da esperança é o de superar a corrupção"
―Moral[fonte]

"Corruption" é o quinto episódio da terceira temporada da série de televisão Star Wars: The Clone Wars.

Descrição oficialEditar

Padmé, em uma missão diplomática para Mandalore, garante ao planeta pacifista proteção integral da República, mas ela e a Duquesa Satine em breve encontram algo de sinistro que se oculta sob a fachada serena do planeta. Contrabandistas Moogan estão secretamente fornecendo suprimentos, incluindo o chá engarrafado destinado às escolas Mandalorianas. Para aumentar seus lucros, eles têm diluído o chá com um produto químico perigoso.

Resumo da tramaEditar

Episódio 5
Corruption
Tempos de desespero em Mandalore! Tendo
ganho neutralidade para o sistema Mandaloriano,
a Duquesa Satine agora acha a si mesma
uma estranha com muito pouca ajuda para
o seu povo. Suprimentos dificilmente
chegam, exceto pelo mercado negro.
Como resultado, a Duquesa enfrenta um
mundo consumido pela ganância. Na esperança
de aliviar algumas das crescentes tensões
na capital Sundari, Satine chamou sua
amiga Padmé para fazer uma visita diplomática...
Amidala na Mandalorze

Padmé se encontra com Satine em Mandalore.

Enquanto que os esforços da Duquesa Satine para manter Mandalore fora das Guerras Clônicas foram bem-sucedidos, seu mundo agora enfrenta uma crise econômica: devido à gravidade da guerra ele já não recebe carregamentos de abastecimento vital, e ela alegou com o Senado para permitirem que as rotas de comércio sejam abertas desde que o contrabando, em combinação com a corrupção, tornaram-se o único meio de transporte dos suprimentos necessários. Padmé Amidala viaja para a cidade capital dos Novos Mandalorianos, Sundari, para assegurar Satine que ela tem ajuda do Senado Galáctico. Ela é cumprimentada por todos os Mandalorianos da cidade enquanto ela vai ao palácio de Satine, mas ao mesmo tempo um bando de Moogan contrabandistas pousa nas docas de carga e subornam um corrupto funcionário da alfândega para fechar os olhos pra eles. A fim de aumentar os seus lucros pela quantidade, os contrabandistas diluem a entrega de chá com um tóxico químico chamado slabin.
Posiedzenie Rady Rzadzacej

Satine falando com o Conselho do Ministério dos Novos Mandalorianos.

Padmé e Satine logo se vêem em uma situação difícil já que nenhum dos membros do Conselho do Ministério dos Novos Mandalorianos chegam a um concordam numa posição comum sobre pedir ajuda para a República, uma vez que a corrupção é generalizada em seu sistema político - uma questão que preocupa as duas amigas. No dia seguinte, Satine leva padmé a um hospital recém-inaugurado, mas elas ficam horrorizadas ao descobrir um grande número de crianças doentes no interior que têm foram envenenadas com uma substância desconhecida. A única pista é que todas as crianças afetadas vêm da mesma escola, ​​acredita-se que a causa possa estar relacionada com os alimentos que foram servidos.
Ksiezna wydaje rozkazy

Satine dá as instruções aos seus guardas pessoais de total confiança sobre a investigação.

O primeiro-ministro Almec suspeita que o Olho da Morte seja o culpado, se recusando a acreditar em Satine que diz que o Olho da Morte tem como alvo ela e o seu governo. Ela atribui a seus guarda-costas pessoais para investigarem o surto, enquanto ela e Padmé também realizam alguma espionagem própria. Na escola, elas verificam o cháe encontram slabin dentro, e tentam usar os registros de importação de entrega para encontrarem sua fonte de origem. Com isso, o superintendente da escola tenta fugir, mas é preso por guardas de Satine, e forçado a falar. Ele lhes diz o nome do intermediário através de quem ele recebeu a bebida: Siddiq, um empregado de uma companhia de transporte.
Plonacy magazyn

Satine manda queimarem o armazém onde era produzido o chá que envenenava as crianças.

Enquanto Siddiq é bastante indiferente ao sofrimento das crianças, ele provê a Satine e Padmé com as informações que a remessa do chá veio de Mooga e que outra remessa deve chegar na mesma noite. Padmé, Satine, e um dos guardas Ducal esgueiram-se pelo cais em questão e testemunham a chegada da remessa e a cumplicidade do funcionário aduaneiro. O capitão da polícia nega de forma obstinada o que Satine e Padmé viram, alegando que nenhuma atividade criminal acontece sob sua jurisdição, mas, quando levado para o armazém do cais, onde o chá é armazenado e vendo a operação por si mesmo, ele é rapidamente convencido. Os contrabandistas abrem fogo nos policiais, mas usando um contêiner de carga como escudo, Padmé e os guardas entram e os derrotam, e após a prisão dos conspiradores, Satine manda incendiarem o armazém e seu conteúdo.

Quando Satine e Padmé relatam tudo para Almec, no entanto, o primeiro-ministro fica estranhamente relutante em reconhecer a corrupção dentro do governo Mandaloriano e apenas promete investigar o assunto. Quando Padmé se prepara para sair, Satine pede a ela para que seja enviado um Jedi como um agente infiltrado na academia, e Padmé promete falar sobre o assunto com o Mestre Yoda.

ElencoEditar



Wiki Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Star Wars Wiki expandindo-o.
Considere marcar um esboço mais específico.


Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória