FANDOM


Eras-canon-transp

30px-GoodIcon

"Estamos indo em direção a uma grande batalha contra os rebeldes. Vamos enviar boa parte da frota e, se a maldita Rebelião quiser uma chance de se manter naquele setor, terão que fazer o mesmo. Essa promete ser a maior batalha desde Endor."
Grão-Moff Randd[fonte]

A Batalha de Jakku foi a batalha decisiva entre o Império Galáctico e a Nova República e a última batalha de larga escala da Guerra Civil Galáctica, realizada um ano depois da Batalha de Endor, em 5 DBY. Durante os meses que antecederam o conflito, Conselheiro Gallius Rax assumiu controle do Império e concentrou a grande maioria das suas forças em Jakku, um mundo desértico afastado da Orla Média onde o Império faria sua última defesa contra a Nova República.

Sem que seus próprios soldados soubessem, Rax seguia a Contingência do Imperador Sheev Palpatine. Entretanto, ele também pretendia recuar às Regiões Desconhecidas, onde ele poderia erguer um novo Império com aqueles que ele considerava dignos, como Brendol Hux. Quando as forças da Nova República atacaram o Império em Jakku, Rax tentou destruir todo o planeta, levando consigo ambas as frotas batalhando na órbita. Porém, Grão-Almirante Rae Sloane o impediu, matando Gallius na batalha.

Embora a luta continuaria por meses depois da morte de rax, a batalha resultou em uma vitória decisiva para a Nova República. Como resultado da batalha, Grand Vizer [tradução necessária] Mas Amedda assinou a Concordância Galáctica em Chandrila, oficialmente terminando a Guerra Civil Galáctica.

Prelúdio Editar

Desintegração imperial Editar

"Aqui temos o mundo desértico de Jakku, inútil, mas prestes a viver para sempre na história como o lugar onde o Império derrotou a Rebelião de uma vez por todas."
Grão-Moff Randd[fonte]

Durante a Batalha de Endor, o Império Galáctico foi drasticamente enfraquecido quando a Aliança para Restauração da República conseguiu destruir a Estrela da Morte II. Antes da destruição, Luke Skywalker, Cavaleiro Jedi, redimiu seu pai, Anakin Skywalker. Anakin, outrora o Lorde Sith Darth Vader, arremessou o Imperador Galáctico Sheev Palpatine, seu antigo mestre Sith, no reator da Estrela da Morte, onde ele morreu. Os rebeldes celebraram a sua vitória na lua de Endor, acreditando que haviam vencido a luta. [7] Mesmo assim, a Rebelião, que foi reorganizada em um governo conhecido como Nova República, ainda se engajaria em conflitos sangrentos contra as forças remanescentes do Império no ano que se seguiu após a destruição da estação de batalha e a morte do Imperador. [1]

Nos meses seguintes à Batalha de Endor, a Nova República conseguiu vitórias importantes contra o Império, consolidou controle de boa parte da galáxia e restabeleceu o Senado Galáctico em Chandrila. Enquanto isso, o Império se fragmentou em vários remanescentes do Império incluindo a facção do Governador Adelhard e a do Grão-Moff Lozen Tolruck em Kashyyyk. Embora Grand Vizer [tradução necessária] Mas Amedda ainda controlava Coruscant, ele era basicamente uma figura sem poder prático[8] que vivia sob "prisão domiciliar" no Palácio Imperial.[3]

Em 5 DBY, Almirante da Frota Gallius Rax havia assumido a liderança das forças imperiais da Marinha Imperial e a havia escondido nas nebulosa Vulpinus, Almagest, Reclusa, Queluhan, o Triângulo Ro-Loo e Inamorata. Rax comandava a Dilacerador, o último Super Destróier Estelar sob o controle imperial. Rax exercia controle através da Grão-Almirante Rae Sloane, uma Almirante capaz que serviu como a figura pública do Império. Rax manipulou Sloane em iniciar uma falsa negociação de paz com a Nova República em Chandrila. Depois do ataque que orquestrou, Rax armou para que Sloane fosse vista como culpada e assumiu a liderança do Império e se auto intitulou Conselheiro do Império. Ele então moveu toda a frota Imperial restante para Jakku.[8]

Secretamente, Jakku havia sido escolhido como o local de execução da Contingência de Palpatine para que o Império não existisse mais depois da morte do Imperador. Como um Lorde Sith, Sidious não desejava passar seu Império para um sucessor.[3] Palpatine conhecera Rax em Jakku quando ele era apenas um jovem órfão em seu iate em 25 ABY. Sentindo potencial no garoto, Palpatine deu a Rax a missão de proteger um misterioso local de escavação no platô Mão Lamentosa[8], que mais tarde se tornaria o Observatório de Jakku. Em troca, Palpatine garantiu que Rax recebesse educação e orquestrou sua ascensão ao ranque de Almirante de Frota. Gallius Rax recebeu a missão de executar a Contingência caso necessário. [3]

A Contingência Editar

"Se um Império não conseguir proteger seu Imperador, então esse Império deve ser tratado como um fracasso. Ele colapsa não apenas como consequência da ausência de sua figura central, mas porque não pode mais existir."
―Imperador Sheev Palpatine para Gallius Rax[fonte]

Sobre o comando de Rax, as forças imperiais se estabeleceram no planeta desértico por meses antes da sua descoberta pela Nova República. A longa espera e o clima árido de Jakku exerceram um grande efeito psicológico nas forças imperiais. Muitos stormtroopers e oficiais se tornaram indisciplinados e deixavam de cuida de seus uniformes e armaduras. Ele também aterrorizavam comunidades locais roubando comida e água. Rax era extremamente rígido com qualquer um que questionava o propósito do Império em Jakku. RK-242, um stormtrooper, foi espancado por seu Sargento Rylon e por seus companheiros por expressar desejo de não estar em Jakku. [3]

Além da frota imperial na órbita, o Conselheiro Rax estabeleceu uma base imperial nos Campos de Naufrágio para suas forças terrestres. Além disso, Rax se aliou ao lorde do crime local, a Hutt Niima. Os escravos e capangas de Niima sequestravam crianças de pequenas vilas e de orfanatos dirigidos pelos Anacoretas. O próprio Rax fora um servo do Anacoreta Kolob e agora buscava vingança pela sua rígida educação que ele recebera de Kolob. Essas crianças capturadas seriam então treinadas pelo Comandante Brendol Hux e se tornariam crianças-soldados impiedosos preparados para obedecer e até matar sobre as ordens de Rax. Enquanto procuravam por Rax, Sloane e Brentin descobriram o que o Conselheiro estava fazendo. Isso apenas intensificou o ódio de Sloane por Rax, que havia usurpado sua autoridade durante o ataque em Chandrila. [3]

Gallius Rax também administrou uma fábrica imperial no plateau Mão Lamentosa conhecido como o Observatório. O Observatória abrigava uma réplica do iate pessoal do Imperador Imperialis e um mapa computadorizado das Regiões Desconhecidas baseado no conhecimento do Grão Almirante Thrawn. Esse estabelecimento fora construído sobre um buraco profundo que levava ao núcleo de Jakku. Como parte da Contingência, Rax planejava destruir o resto do Império e a Nova República ao explodir o planeta inteiro. Além disso, porém, Rax também planejava fugir para as Regiões Desconhecidas com alguns imperiais "dignos", como Hux, seu filho Armitage Hux e as crianças-soldados para reconstruir o Império. [3]

Descoberta e impasse Editar

"Aqueles que votarem não: entendam que vocês estarão marcados. Vocês serão lembrados como covardes na melhor das hipóteses e como traidores na pior."
―Uma passagem do discurso da Chanceler Mon Mothma para o Senado Galáctico.[fonte]

Enquanto procuravam por Rae Sloane, Norra Wexley e seu time descobriram a frota remanescente imperial de Gallius Rax em Jakku. Norra e a caçadora de recompensas Jas Emari usaram uma cápsula de fuga para pousar no planeta enquanto Temmin Wexley e Sinjir Rath Velus levaram a sua nave, Moth, de volta para a capital da Nova República, Chandrila. Temmin, filho de Norra, enviou seu droide de batalha B1 e companheiro, Senhor Ossudo, para protegê-las em Jakku. Norra e Jas foram capturadas por stormtroopers. Norra foi forçada a trabalhar em uma mina de gás kesium enquanto Jas foi levada como prisioneira de Niima a Hutt e do caçador de recompensa Mercurial Swift; este último desejava capturar Emari para receber a recompensa por sua cabeça colocada pelo Sol Negro. [3]

Enquanto isso, Sloane e um ex-agente rebelde, Brentin Lore Wexley, foram a Jakku atrás de vingança contra Gallius Rax. Depois de encontrar Niima, eles conseguiram convencer a Hutt de levá-los à fábrica de armas de Rax. Enquanto isso, Norra escapou dos imperiais com a ajuda do Senhor Ossudo. Jas também consegui fugir e se encontrou com Norra. Continuando sua busca por Sloane, Norra e seus companheiros rastrearam-na no plateau Mão Lamentosa. Entretanto, o Conselheiro Rax avistou Sloane junto com a caravana de Niima e os bombardiou. Norra e Jas puderam apenas assistir as forças imperiais levar Sloane e Brentin. A ex Grã Almirante e agente rebelde foram presos na principal base imperial em Jakku, onde Rax preparava seu derradeiro confronto com a Nova República. [3]

Enquanto isso, Temmin e Sinjir voltaram para Chandrila com as notícias da ocupação imperial de Jakku. Os dois avisaram a Chanceler Mon Mothma, Prinesa Leia Organa e Han Solo. Entretanto, o rival político de Mon, o Senador Tolwar Wartol, havia plantado uma escuta no droide caseiro do casal Solo, T-2LC. Wartol vazou essa notícia para a mídia e acusou Mothma de reter informação do público. De acordo com o procedimento da Nova República, o caberia ao Senado Galáctico autorizar qualquer investida militar de grande escala. [3]

Na primeira votação da questão em Chandrila, a investida foi barrada por cinco votos. A questão se agravou pois a Nova República estava em processo de transferência de capital de Chandrila para o mundo agrícola de Nakadia na Orla Média. Posteriormente, Mon descobriria que o Senador Wartol conspirara com o Sol Negro e Caçadores da Chave Vermelha para coagir cinco senadores a votar contra a investida militar. Esses senadores eram Ashmin Ek de Anthan Prime, Rethalow de Frong, Dor Wieedo de Rodia, Grelka Sorka e Nim Tar. Para ganhar tempo para resolver essa situação, Mothma conseguir atrasar a nova votação ao comer uma fruta pta a bordo da nave de Wartol na órbita de Nakadia. Como o planeta tinha leis de biosegurança muito estritas, a nave de Wartol ficou em quarentena por várias horas. [3]

Enquanto isso, Mon despachou um time de cinco espiões formado por Han Solo, Temmin, Sinjir, o ex-soldado das Forças Especiais da Nova República Jom Barell e o namorado de Sinjir, Conder Kyl, para espiar nos cinco senadores e convencê-los a mudar seus votos. Eles descobriram que Ashmin Ek, Rethalow e Dor Wieedo tinham recebido propina na forma de negócios comerciais favoráveis para se opor a investida militar da Chanceler. O filho de Nim Tar e o pet jerba de Sorka haviam sido capturados. Solo e seu time conseguiram resgatar o filho de Nim Tar dos gangsters. Sinjir então fingiu ser um conselheiro de Mon e ofereceu aos senadores um perdão por suas transgressões caso votassem a favor da ação militar na nova votação. Graças à lábia de Sinjir, os cinco senadores votaram a favor, e as forças da Nova República foram autorizadas a partir para Jakku. [3]

A batalha Editar

Preparações Editar

"A batalha está sobre nós! Vão! Vão e derrubem suas naves e quebrem seus pescoços com suas botas! Peguem suas cabeças! Encerrem a sua tirania!"
―Conselheiro Rax em seu discurso enquanto as forças da Nova República chegam em órbita.[fonte]

Assim que o Senado Galáctico decidiu por interver em Jakku, a Nova República mobilizou suas forças. Além de derrotar o restante da Marinha Imperial, [3] a Nova República também desejava capturar um setor crítico na Guerra Civil Galáctica[1] e uma fábrica de armas imperial no planeta. [5]. Como a Nova República estava em expansão e em constante falta de naves estelares e o Império ainda em controle de grandes estaleiros galácticos, o General Carlist Rieekan preparou várias equipes de abordagem par capturar Destroiers Estelares do Império. Essas equipes consistiam de vários ex-imperiais, como Tenente Thane Kyrell e Kendy Idele, que eram familiarizados com o design dos Destroiers Estelares e seus mecanismos de auto-destruição. [1] O ataque espacial da Nova República foi comandado pelo Almirante Gial Ackbar e pela Comodoro Kyrsta Agate, e as forças terrestres pelos Tenente-General Brockway e pelo General Tyben, diretamente de Chandrila. [3]

Enquanto isso, Gallius Rax mobilizou todas as forças imperiais terrestres e espaciais de Jakku. Rax deu o comando da frota ao Grão-Moff Randd e deu o comando das forças terrestres ao General Hodnar Borrum. Antes da batalha, Rax havia usado as crianças-soldado para assassinar o propagandista Ferric Obdur como parte da Contingência e também de alguns stormtroopers como forma de demonstração de poder a Sloane e Brentin. Rax estava discursando imediatamente antes da chegada das forças da Nova República incitando suas forças a não demonstrarem misericórdia ao inimigo e clamando que a vitória seria deles. Seu discurso foi transmitido às forças imperiais via holograma. Secretamente, Rax planejava destruir as forças imperiais e as da Nova República como parte da Contingência, mas ele também selecionou alguns que ele considerava dignos para partirem para as Regiões Desconhecidas a bordo da réplica do iate Imperialis. [3]

Devido às derrotas do Império pela galáxia e portanto severa redução de seu poderio militar, [6] a Nova República tinha a vantagem numérica. Entre as forças republicanas, havia a nave de Almirante Ackbar, o cruzador estelar MC80 Lar Um, três naves de batalha classe Starhawk incluindo a nave de Agate, a Concord, e a fragata de escolta Alderaaniana Sunspire. Além disso, a Nova República também fez uso de vários caças estelares, caças U-wing e as Forças Especiais[3] e o exército da Nova República.[5]

No lado do Império, havia o Super Destróier Estelar Dilacerador, o Destróier Estelar do Capitão Groff Punição[3] e o classe Imperial da Capitã Ciena Ree o Inflictor.[1] Além disso, o Império também contava com vários caças TIE, TIE strikers[3], stormtroopers e vários tipos de andadores[5]

Batalha espacial Editar

"Almirante, ouça, faça com que todo mundo dê tudo de si naquele couraçado de longe. Derrube seus motores. Envie todo caça, toda CRG90, qualquer um—"
―Comodora Kyrsta Agate[fonte]
Ravager down

O Dilacerador sucumbe em direção à superfície de Jakku.

A Batalha de Jakku ocorreu um ano e quatro dias depois da Batalha de Endor.[1] Assim que saiu do hiperespaço, a frota da Nova República começou a bombardear a frota adversária, que respondeu na sequência. Ambos lançaram seu caças e os combates espaciais entre caças se iniciaram. Durante o combate, Capitão Wedge Antilles e Temmin Wexley voaram suas X-wings como parte da Esquadrão Fantasma, que deveria proteger as naves capitais de caças TIE. Ao pedido de Temmin, o Esquadrão entrou na atmosfera de Jakku para escoltar as U-wings, que carregavam soldados da Nova República. Em resposta à chegada de tropas republicanas, o Império enviou vários AT-ATs para o deserto para proteger suas instalações.[3]

Apesar de sua vantagem numérica, a frota da Nova República não conseguia penetrar a muito bem comprimida frota imperial. O Império usava seus Destroiers Estelares para formar um forte perímetro ao redor do Super Destróier Estelar Dilacerador, que castigava o ataque adversário. Ao longo da batalha, as menores naves de guerra imperiais repetidamente abriam formação para permitir que a Dilacerador descarregasse seu formidável poderio contra as naves da Nova República. Ainda assim, o Almirante Ackbar e a Comodoro Agate conseguiram encurtar o perímetro da defesa imperial ao se utilizar de várias corvetas CR90 e seus três Starhawk a fim de quebrar a formação inimiga. Entretanto, a frota da Nova República ainda não conseguia penetrar no espaço imperial e constantemente perdia naves no processo. [3]

Logo mais, o Destróier Estelar do Capitão Groff entrou em pânico e direcionou sua nave contra uma das três Starhawk da Nova República, a Amizade. A destruição de ambas as espaçonaves criou uma onda de destroços muito grande, e a proximidade da Concórdia faria com que a Starhawk de Agate fosse severamente danificada. Sem outra opção, a Comodoro ordenou que sua tripulação abandonasse a nave, mas logo teve uma ideia. Ela contactou Ackbar, que constantemente ordenava que Agate abandonasse a nave, para que ele ordenasse à frota que focassem nos motores da Dilacerador. Depois de uma troca violenta de poder de fogo entra o Super Destróier Estelar e a Concórdia, o cruzador de Agate estava severamente danificado, e a proximidade com a atmosfera de Jakku deu à Comodoro a ideia de usar o poderoso raio trator da Concórdia, dez vezes mais forte do que de um Destróier Estelar Imperial, para afundar junto com sua própria nave a Dilacerador. [3]

Consequentemente, ambas as naves foram puxadas pela atmosfera e colidiram contra a superfície de Jakku. Comodoro Kyrsta Agate faleceu com sua nave, mas o Grão-Moff Randd escapou da Dilacerador numa cápsula de fuga. Com a queda da Dilacerador sobre Jakku, o Almirante Ackbar alterou as tropas terrestres republicanas sobre os destroços iminentes.[3] Com a batalha se virando contra o Império, naves imperiais começaram a adentrar a camada superior da atmosfera do planeta a fim de apertar seu cerco, desencadeando uma defesa fanática para impedir que a Nova República capturasse a fábrica de armas secreta imperial abaixo. Em um derradeiro esforço, naves imperiais avariadas começaram a usar seus raios tratores para arrastar naves da República para a superfície. Com o impacto contra Jakku, quase toda a tripulação de naves caídas pereceria. [9]

Abordando o Inflictor Editar

"Você vai chocar o Inflictor contra o planeta."
"Tenho que manter o Inflictor longe das mãos dos rebeldes, não importa como. Esse é o único jeito, Nash."
"De jeito nenhum. Você pode ajustar as coordenadas e sair daí."
"E deixar a nave para os rebeldes? Eles tomariam a ponte, mudariam o curso e voariam pra longe com seu novo Destróier Estelar."
Comandante Nash Windrider argumentando com a Capitã Ciena Ree[fonte]

Depois da destruição da Dilacerador,[3] as forças da Nova República começaram a atacar as posições concentradas do Império de múltiplos lados, tanto no espaço quanto no solo. Com os imperiais sem a vantagem bélica que tinham em anos antes de Endor, táticas e lideranças falhas destruíram a possibilidade de uma vitória imperial. Com a batalha ficando cada vez pior para o Império, a Capitã imperial Ciena Ree da Inflictor se perguntava se os planos do Império de se defender em Jakku foram traídos por algum almirante ou Grão-Moff em uma jogada de poder. Ataques da Nova República contra os flancos imperiais também contribuíram para as pesadas perdas imperiais. [1]

A Capitã Ciena Ree estava prestes a contactar o Grão-Moff Randd para sugerir a divisão da frota para combater os cruzadores rebeldes de múltiplas direções e o envio de uma das naves maiores de ataque para a atmosfera para dar apoio aos caças TIE em órbita quando sua nave foi repentinamente invadida por soldados da Nova República. Sem outra alternativa, a capitã tentou ativar a auto-destruição do Destróier Estelar, mas apenas para descobrir que ele fora desativado pelos invasores. Sem outra escolha, e também encontrando uma maneira de finalmente abandonar o Império que ela tanto detestava sem, com isso, quebrar seu juramento, Ree ordenou que sua tripulação evacuasse e então colidiu o Inflictor contra a superfície do planeta abaixo, produzindo ondas de areia no deserto abaixo. Porém, antes da colisão, Thane Kyrell conseguiu atordoar Ree e carregá-la para um pod de escape da nave antes que o Inflictor caísse dos céus, levando a Capitã e sua antiga amante para a custódia da Nova República. [1]

Batalha terrestre Editar

Death-star-2 Esse artigo está em construção.

O autor deve estar treinando seus poderes de Jedi.

"Será nosso campo de provas. Vamos testar a nós mesmos em Jakku. E o faremos longe dos olhos da galáxia, longe dos olhos de Mon Mothma e seus aduladores. E quando chegar o momento certo, quando estivermos afiados como uma lâmina vingativa, atacaremos mais uma vez. O Senado está ferido. A República está ferida. Vamos entrar para matar, mas é cedo demais e estamos fracos demais."
―Conselheiro Gallius Rax sobre a missão a Jakku.[fonte]
"As forças terrestres estão tendo algum sucesso, Almirante. Nós conseguimos fazê-los recuar, pouco a pouco. Nós devemos estar avançando até sua base até a noite... O Império está lutando cada vez menos como o Império e cada vez mais como uma insurreição, Almirante. Ele arriscam. Eles sacrificam seus soldados. É um pandemônio, mas eles estão usando isso a seu favor ao invés de seu detrimento."
―General Tyben relatando o ataque terrestre para Almirante Ackbar[fonte]
Battle of Jakku chaos

Forças da República combatem o Império na superfície do planeta.

A fim de atacar as instalações imperiais, o General Tyber e Vice-General Brockway despacharam U-wings para desembarcar soldados da Nova República. As U-wings foram escoltadas por caças da Nova República, como por exemplo a Esquadrão Fantasma. Temmin e seus colegas da Esquadrão Fantasma começaram a atacar os andadores imperiais. Durante a aterrizagem de sua U-wing, o soldado das Forças Especiais da Nova República Jom Barell se sacrificou para salvar seus companheiros da U-wing ao voar com seu jetpack para interceptar um míssil de concussão do Império. [3]

A batalha logo se encerrou quando chegou a notícia de que um tratado de paz, a Concordância Galáctica, foi assinado em Coruscant. Mesmo assim, as forças imperiais em recuada conseguiram destruir a sua fábrica antes de saltar para as Regiões Desconhecidas. [6] A Batalha de Jakku havia encerrado com uma decisiva derrota para o Império Galáctico. [1]

Impedindo Rax Editar

"É melhor você estar certa sobre esse Rax. Porque se eu descobrir que você está errada ou que você está me manipulando? Meu droide aqui vai quebrar cada centímetro de cada osso seu. Fui clara?"
"Clara como o céu azul, Norra Wexley."
―Norra formando uma alinaça com Rae Sloane e Brentin para impedir Gallius Rax[fonte]

Durante a batalha, Conselheiro Rax foi para o Observatório junto com Brendol Hux, seu filho Armitage, Assessor Yupe Tashu e seu contingente de crianças-soldados. Depois de aterrizarem, Rax instruiu Brendol e seu filho a esperarem a bordo da Imperialis junto com as crianças-soldados enquanto ele e Tashu entraram no Observatório para iniciar o estágio final da Contingência. Rax e Tashu chegaram ao poço profundo que levava ao núcleo de Jakku. Depois que Tashu pôs uma máscara Sith e ativou um holocron Sith, a dupla iniciou um ritual do lado sombrio. Depois de rezar, Rax empurrou Tashu para o poço, matando-o. [3]

O ritual fez com que o núcleo de Jakku tremesse, iniciando um processo que levaria à destruição do planeta se não fosse interrompido. Norra, Sloane e Brentin chegaram e decidiram impedir o plano de Rax. Enquanto Norra e Brentin tentavam fechar o buraco, Sloane e Rax lutavam. Embora fosse muito bem treinada, Rax conseguiu quebrar alguns dedos de Sloane, o que a fez gritar, resultando em Norra e Brentin correndo para ajudá-la. Rax conseguiu matar Brentin com seu blaster, mas Norra passou sua própria arma para Sloane, que, por sua vez, matou seu inimigo. [3]

Em seus derradeiros momentos, Rax disse a Sloane que ela agora servia à Contingência e que ela deveria tomar a Imperialis para as Regiões Desconhecidas para se encontrar com a nave capital do Imperador, a Eclipse. Rax também revelou que a nave continham dados com coordenadas para uma rota hiperespacial através das Regiões Desconhecidas. Sloane então se encontrou com Norra e prometeu concluir os esforços de Brentin de fechar o poço. Assim, enquanto Sloane vedava o buraco, Norra levou seu falecido marido embora e foi resgatada por Jas Emari e seus colegas caçadores de recompensas. Depois de fechar o poço, Sloane partiu a bordo da Imperialis para as Regiões Desconhecidas junto com Brendol, Armitage e as crianças-soldados. [3]

Consequências Editar

"No mês que se seguiu à Batalha de Jakku, o Império não tentou mais ofensivas de larga escala. Fontes informam que todas as naves imperiais estão nos Mundos no Núcleo ou na Orla Interior, dentro dos limites definidos pelo tratado. Alguns membros proeminentes do Senado Provisório especulam que a guerra da Nova República com os remanescentes do Império finalmente chegou ao fim, e que a rendição final é eminente. Contudo, em seu discurso de hoje, a chanceler alertou que todos os planetas devem permanecer em alerta e a frota estelar da Nova República deve ser mantida em estado de guerra pelo futuro próximo."
―Notícia da HoloNet[fonte]
Inflictor TFA

O Destróier Estelar Inflictor trinta anos depois da batalha.

Com a batalha terminada com uma vitória para a República logo depois da assinatura da Concordância Galáctica [6], Capitã Ciena Ree questionou se os planos do Império foram vazados por um almirante ou Grão-Moff traidor em uma jogada de poder, assim como as táticas de batalha desatualizadas do Império contribuíram para sua derrota. Com a antiga estratégia requerindo um esforço simultâneo comandado por uma autoridade central, a carência de recursos e liderança efetiva contribuíram para a rendição do Império. Ataques rebeldes aos flancos imperiais também se mostraram fatais e contribuíram para as pesadas perdas imperiais. [1]

Um mês depois, o Império não tentou mais nenhuma outra ofensiva de larga escala contra a Nova República. O Império, exaustado, assinaria um tratado punitivo forçando-o a ordenar a todas suas naves e veículos localizados no Núcleo e na Orla Interna a permaneceram em fronteiras pré-definidas, bem como ceder a capital Imperial de Coruscant para o novo governo. Reparações duras de guerra e restrições severas em sua capacidade militar efetivamente tornaram o Império despedaçado em um estado tampão.[6] Com o tratado assinado, alguns membros proeminentes do Senado Galáctico restabelecido acreditavam que a guerra da Nova República com o Império estava próxima de seu fim e que sua rendição era iminente. [1]

Nas décadas seguintes à batalha, a paisagem desértica de Jakku ainda estava cheia de destroços da batalha em uma área conhecida como Cemitério de Gigantes, com o abatido Couraçado Estelar classe Executor Dilacerador e outros tantos Destróieres Estelares moldando a paisagem. Apesar de a maioria das naves terem caído no Cemitério, destroços de caças, naves de guerra e outras peças de naves foram encontradas em lugares como Ravina Kelvin, Cume do Carbono, Ermo Goazone e outros lugares do planeta. Sobreviventes da batalha que ejetaram de caças ou desceram à superfície a partir de pods de escape normalmente vagaram no deserto à procura de locais habitados. Com a baixa população de Jakku daquela época, muitos morreram de exposição no deserto ou de fome em cavernas. Consequentemente, o planeta ficou repleto de corpos, e ossos de soldados mortos ainda com farda presos em seu assento ejetores ou presos debaixo dos destroços de naves estelares eram abundantes em lugares desde o Ponto Feressee a Espigão. As areias em constante movimento dos Campos de Naufrágio costumavam revelar naves abatidas por um curto período, antes de tornar a enterrá-las. [9] Formas de vida tais como abutres de bico de ferro conhecidos como bicadores-de-aço quebravam metais dos destroços, enquanto criaturas transplantadas e parasitas da batalha teimosamente encontrariam seu lugar na ecologia do deserto. [6]

ApariçõesEditar

FontesEditar

Notas e referênciasEditar



Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.