FANDOM


Eras-canon-transp

Star Wars Os Últimos Jedi
Está na hora dos Jedi acabarem.
Aviso! Essa página contém SPOILERS de Star Wars Episódio VIII: Os Últimos Jedi. Se você não quer ver spoilers, deixe esta página agora!
"E aí tem essa garota de Gatalenta chamada Amilyn Holdo que é…vamos dizer assim, meio esquisita."
"Eu confio no seu julgamento, Leia, mas vamos não julgar as pessoas tão rapidamente. Às vezes elas podem te surpreender."
―Leia e Bail Organa[fonte]

Amilyn Holdo era uma Humana nativa do planeta de Gatalenta. Na juventude, Holdo serviu no Legislativo Aprendiz do Senado Imperial, onde ela conheceu a Princesa Leia Organa de Alderaan. Durante seu tempo no Legislativo Aprendiz, Holdo se tornou amiga de Organa, que contou a ela sobre seu envolvimento com a rebelião incipiente contra o Império Galáctico. Anos depois, Holdo tornou-se Vice Almirante na Resistência de Organa durante a guerra contra a Primeira Ordem.

Comandando o cruzador Ninka, Holdo participou da evacuação da base de D'Qar e da subsequente batalha espacial contra as forças da Primeira Ordem. Quando a ponte de comando da Raddus foi explodida, matando grande parte dos oficiais de alta patente da Resistência (incluindo Almirante Gial Ackbar) e gravemente ferindo General Organa, Holdo tornou-se a primeira na cadeia de comando e assumiu o controle da frota, decidindo por uma fuga desesperada até Crait, onde estava localizada uma antiga base da Aliança Rebelde. Ao chegar no planeta, ela ordenou que todos os sobreviventes fossem evacuados por transportes até a base e permaneceu sozinha a bordo do cruzador para poder pilotá-lo e atrair a atenção do inimigo. Amilyn Holdo sacrificou-se por seus comandados ao entrar no hiperespaço e atravessar o Destróier Estelar classe Mega Supremacia, a capitânia de Líder Supremo Snoke, rachando-a por completo e causando uma descarga de energia que gravemente danificou toda a frota da Primeira Ordem, permitindo que os transportes restantes chegassem ao planeta.

BiografiaEditar

JuventudeEditar

Amilyn Holdo nasceu no planeta Gatalenta durante o começo da Era Imperial. No ano 3 ABY, ela entrou no Legislativo Aprendiz, uma organização Imperial em Coruscant para jovens na política. Enquanto estava no programa, Amilyn conheceu a Princesa Leia Organa de Alderaan, filha do Senador Bail Organa. As duas passavam muito tempo juntas durante sessões senatoriais e treinamento rotineiro de exploração em vários mundos como Alderaan, Eriadu e Felucia. Enquanto explorando no planeta Pamarthe, Amilyn descobriu sobre o envolvimento de Leia com a rebelião contra o Império Galáctico. Logo depois, ela ajudou a amiga a encontrar uma passagem para o sistema Paucris para avisar a frota de um ataque Imperial a caminho.[1]

A ResistênciaEditar

Amilyn Holdo Ellen

Amilyn Holdo com a Resistência

Em 2 ABY, a rebelião tornou-se a Aliança pela Restauração da República,[5] e na subsequente Guerra Civil Galáctica, o Império foi derrubado e substituído pela Nova República.[6] Entretanto, remanescentes Imperiais reorganizaram-se na Primeira Ordem, e então, em 28 DBY, Leia Organa criou a Resistência para se opor a eles.[7] Na altura de 34 DBY, durante o conflito entre ambas organizações, Holdo já havia se juntado às Forças Armadas da Resistência e servia como Vice Almirante[4] e oficial superior do cruzador Ninka. Depois do ataque à Base Starkiller, Holdo participou da evacuação da base em D'Qar. A frota da Resistência foi repetidamente atacada pelas forças da Primeira Ordem durante a fuga pelo espaço, com a maior parte dos sobreviventes e do alto comando da Resistência à bordo do cruzador estelar Raddus. Quando os caças da Primeira Ordem explodem a ponte, o topo da cadeia de comando é cuspido no espaço, incluindo Organa, que consegue sobreviver apenas com suas habilidades natas na Força. Com Organa ferida e inconsciente, Holdo se tornou a primeira na linha de comando e assume o controle da frota e da Raddus.[3]

Sob ataque constante da frota da Primeira Ordem e com o combustível acabando, ela decide concentrar todos os esforços e recursos que lhe sobraram para chegar ao planeta Crait, onde estava localizada uma antiga base secreta da Rebelião. Na medida em que as naves da frota perdiam combustível, Holdo transferia sua tripulação para a Raddus e se manteve firme em seu plano, que manteve secreto até mesmo de Poe Dameron, o respeitado herói e piloto de caça. Cada vez mais frustrado com a aparente inação de sua superior, Dameron organiza um motim com o apoio de colegas pilotos e da Tenente Connix. Entretanto, a situação é revertida quando Leia acorda de seu coma e atira um raio atordoador contra Poe, permitindo que Holdo e seus aliados derrotassem os insurgentes. Quando ele acorda, a Raddus havia chegado perto suficiente de Crait para que o plano fosse revelado: Holdo ordenou a evacuação da nave, enviando todos em transportes até a superfície, enquanto ela permaneceria a bordo para atrair a atenção da frota inimiga.[3]

Após despedir-se de Leia pela última vez, Holdo voltou para a ponte e esperou até que todos os transportes tivessem partido para dar meia volta com o cruzador e se dirigir até a Supremacia, a nave capitânia do Líder Supremo Snoke. O comandante da nave percebeu suas intenções tarde demais para sair do caminho; Holdo entrou no hiperespaço numa rota de colisão direta, sacrificando-se para destruir a Supremacia e causando uma descarga de energia que danificou gravemente os outros Destróieres Estelares da frota. Graças a seu sacrifício, os transportes restantes conseguiram chegar até a base rebelde, e grande parte dos sobreviventes foi capaz de escapar da Primeira Ordem para continuar sua luta.[3]

ApariçõesEditar

FontesEditar

Fontes não-canônicasEditar

Notas e referênciasEditar

Links externosEditar

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.